Logo
 
Notícias


Condolências
A IPA BRASILEIRA, pelo seu presidente que a este subscreve, COMUNICA O FALECIMENTO, nesta data (26/1/2016), do presidente da IPA AMERICANA, Mr. KEVIN GORDON.

Em algumas oportunidades, como quando da morte do policial brasileiro Carlos Eugênio da Silva, em competição ciclística nos Estados Unidos, KEVIN GORDON mostrou real apreço pelos policiais brasileiros, em correspondência endereçada ao presidente da IPA do Brasil, onde dizia "Vocês são sempre bem-vindos".

Neste momento de consternação, estamos enviando as condolências dos policiais brasileiros à viúva Beth e ao Vice-Presidente CALVIN CHOW e a toda a família ipeana dos Estados Unidos.

Jarim Lopes Roseira
Presidente da IPA Brasileira

 

Envie essa matéria para um companheiro
 
Ainda não temos resposta do D. Delegado

Até o momento não recebemos a resposta pelo D.D. Delegado Seccional de Policia de Sorocaba.


Att.
Maria Aparecida de Queiroz Almeida.

Envie essa matéria para um companheiro
 
A jornada do Sinpol Sorocaba
Num ano difícil, de reivindicações e expectativas, os policiais civis paulistas fecharam 2015 com uma conquista histórica: o governador Geraldo Alckmim enviou e os deputados estaduais aprovaram o projeto de lei complementar que institui a Diária Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho Policial Civil (Dejec) em todo o Estado de São Paulo.

A escala remunerada tem o objetivo de aumentar a renda dos policiais civis e reforçar o efetivo nas ruas e nas delegacias.

Cada policial poderá trabalhar até 8 horas diárias (fora da jornada normal), por até 10 dias no mês (ou seja, máximo de 80 horas mensais).

O valor pago aos delegados deverá ser de R$ 204 por dia.

As demais carreiras, como investigadores e escrivães, receberão R$ 170 diários.

A justificativa do governador é que com essa medida todo mundo ganha: a Polícia Civil ganha, porque faz uma jornada extraordinária com um salário mais alto, e a sociedade ganha com maior presença policial.

Acima de tudo, temos que esclarecer que esta vitória, longe de ser uma dádiva das autoridades estaduais, é fruto da luta dos policiais civis por melhores condições de vida e de trabalho.

O Sinpol de Sorocaba e os sindicatos da categoria de outras regiões de São Paulo encaminharam
ao governo várias reivindicações, entre elas o Dejec.

Desse modo, não podemos nos iludir com versões oficiais de que o Dejec é uma dádiva do governo.

A medida é, antes de tudo, resultado de pressão dos sindicatos representantes dos policiais civis, entre os quais o nosso Sinpol de Sorocaba.

E, como já demonstramos em outras oportunidades, ainda falta muito para a valorização merecida pela categoria.

Vale lembrar que a nossa data base foi esquecida em 2015 pelo governo de São Paulo e não há nenhuma sinalização de reajuste salarial.

E a valorização por meio do nível universitário foi ignorada.

As nossas diárias de alimentação também têm valor precário.

Queremos (e merecemos) que o governo reconheça o nível universitário como de efetivo exercício, e não apenas como requisito de ingresso na carreira policial.

Também no ano passado, em reunião com representantes dos governos, os diretores dos sindicatos dos policiais civis deixaram claro que não aguentam mais promessas e formação de grupo de estudos para cada umade nossas reivindicações.

Queremos respostas, atitudes e resultados.

O governo tem conhecimento de que a segurança pública é prioridade nos anseios da população e sabe que precisa contar com o trabalho eficiente dos policiais civis, no conjunto das demais forças de
segurança, para cumprir suas promessas nessa área.

E valorizar os policiais civis é um bom começo para que ele consiga êxito.

Sem dúvida, o governo de São Paulo tem que ir além dos discursos e examinar as nossas reivindicações com toda a atenção possível.

Não se faz omelete sem ovos. Da mesma forma, não se obtém resultados consistentes em segurança pública sem os devidos investimentos em recursos humanos, equipamentos e sistemas de inteligência e
tecnologia.

Para enfrentar o crime e fazer as investigações necessárias, os policiais precisam estar preparados e motivados para o trabalho.

Preparação vai desde a formação profissional até o uso de equipamentos de última geração.

E motivação requer posturas de governo que garantam a devida valorização aos policiais civis e suas famílias.

Para usar as palavras do governador, com esta forma de gestão também ganham a sociedade e o policial civil. Mas para que isso aconteça ainda falta um longo caminho a percorrer.

Por todas essas razões, neste ano de 2016, o Sinpol de Sorocaba, com o apoio dos policiais civis deste município e das demais cidades da região, fará toda a pressão possível para que a categoria conquiste o merecido reconhecimento por parte do governador Geraldo Alckmin.

E certamente os sindicatos dos policiais de outras regiões estarão unidos na mesma jornada.

Cidinha Queiroz
Presidente do Sindicato dos Policiais Civis da Região de Sorocaba (Sinpol)
Envie essa matéria para um companheiro
 
Para conhecimento dos sócios!!!

Envie essa matéria para um companheiro
 
Atenção
Caros associados que possuem conta no Banco do Brasil, por problemas técnicos do Banco, não foram debitados os convênios e mensalidades.
Estamos tentando soluções com o Banco do Brasil. Favor deixar valores na conta.

Atenciosamente
A Diretoria
Envie essa matéria para um companheiro
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 1 de 54

 

 

 

 

logorodape.png
telefones.png